Piloto interceptado com meia tonelada de cocaína estava solto por decisão do STF

Habeas corpus para Nélio Alves de Oliveira foi concedido em novembro de 2018 por Ricardo Lewandowski.

Condenado a 21 anos e oito meses de prisão por tráfico internacional de cocaína em 2014, o piloto de avião Nélio Alves de Oliveira estava em liberdade desde dezembro de 2018 graças a habeas corpus concedido pelo ministro Ricardo Lewandowski.

Neste domingo (2), Nélio de Oliveira pilotava o avião que fez pouso forçado em uma lavoura de cana de açúcar no município de Ivinhema após ser perseguido por caças e helicópteros da Força Aérea Brasileira.

Única foto divulgada do piloto Nélio de Oliveira (Foto: Reprodução)
Dentro do avião estavam 489 quilos de cocaína pura e 30 quilos de pasta-base de cocaína. Nélio e o co-piloto, Júlio César Lima Benitez, 41, foram localizados pela Força Tática da Polícia Militar escondidos em uma reserva de mata perto do local do pouso. Os dois foram trazidos para a Polícia Federal em Dourados, onde estão presos.

Mesmo com o histórico de crimes do piloto e da ligação dele com grandes quadrilhas de traficantes atuantes na Linha Internacional, Lewandovski citou no habeas corpus: “a Constituição garante que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória […]. Trata-se do princípio, hoje universal, da presunção de inocência das pessoas”.

Atualmente com 70 anos de idade, Nélio foi vereador no início da década de 80 em Ponta Porã, período em que presidiu a Câmara de Vereadores. Também foi vice-prefeito da cidade na chapa de Carlos Fróes, eleito em 1988.

Cabeça Branca – Nélio de Oliveira havia sido condenado em 2014 junto com o então chefão do crime na fronteira, Jorge Rafaat Toumani, executado a tiros de metralhadora antiaérea em junho de 2016, em Pedro Juan Caballero. Carlos Roberto da Silva também foi condenado na mesma sentença e, a exemplo de Nélio, acabou beneficiado pelo habeas corpus de Ricardo Lewandovski. – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

FONTE: https://www.campograndenews.com.br/cidades/interior/piloto-interceptado-com-516-kg-de-cocaina-estava-solto-por-decisao-do-stf

Buraco de bala na fuselagem do avião; tiros foram disparados durante tentativa de abordagem (Foto: Divulgação) – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Um comentário sobre “Piloto interceptado com meia tonelada de cocaína estava solto por decisão do STF”

  1. São por estas e por outras atitudes de seus ATUAIS ministros que o STF fica depreciado perante a opinião pública. Importante, também, em casos como estes, identificar a peça do Habeas Corpus, para que o cidadão comum saiba que existem argumentos que são capazes de justificar tais alvarás de soltura.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.