Moro sugere a Bolsonaro vetar 9 artigos da Lei de Abuso de Autoridade

PCC e Comando Vermelho entram na Justiça contra Sérgio Moro.

Na reunião mais cedo com Jair Bolsonaro, Sergio Moro sugeriu veto a 9 artigos da Lei de Abuso de Autoridade aprovada pela Câmara, informa o Estadão.

Um parecer enviado à Câmara antes da votação aos deputados pedia a supressão do trecho que torna crime decretar prisão “em manifesta desconformidade com as hipóteses legais”.

Também pede a rejeição da obrigação do policial se identificar para o preso (o que colocaria em risco sua segurança) e o que pune o uso de algemas (que tira do agente a capacidade de prender).

PCC e Comando Vermelho entram na Justiça contra Sérgio Moro

Parece inacreditável, mas é verdade.

Foi-se o tempo em que facções criminosas faziam acordo com o governo.

Assim, ante as determinações emanadas pelo ministro Sérgio Moro, as duas maiores facções do Brasil se juntaram em uma tentativa de derrubar judicialmente as medidas implantadas no sistema penitenciário federal.

s facções estão se insurgindo contra a portaria 157 assinada por Moro, que proíbe o contato físico entre presos e seus familiares, além de reforçar o veto à visita íntima.

O objetivo é impedir a comunicação dos chefes das organizações criminosas com o mundo externo, pois estes costumam utilizar os familiares para o envio de ordens.

Tais medidas indubitavelmente foram fundamentais para a queda acentuada nos índices de criminalidade.

Resta saber de que lado ficarão as entidades de direitos humanos, os partidos de esquerda e a própria Justiça.

Entre nos grupos do WhatsApp em apoio a Bolsonaro e Lava Jato:

https://zapbolsonaro.com/criamos-os-grupos-do-zap-bolsonaro-por-estados-e-capitais-entre-agora/

4 comentários sobre “Moro sugere a Bolsonaro vetar 9 artigos da Lei de Abuso de Autoridade”

  1. É só no Brasil que essas coisas acontecem, acabou para a bandidagem, A ordem chegou, em seguida vem o progresso.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.