COMO PEDIR QUE CONTINUEM LUTANDO, SE OS DEIXAMOS SOZINHOS?

O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, decano da operação “lava jato”, se aposentou nesta segunda-feira (18/3) aos 55 anos do posto que ocupava desde 1995. O anúncio foi feito ao jornal O Estado de S. Paulo em entrevista sobre seus próximos passos.

Pessoas me encontram em ruas e aeroportos, cumprimentam-me, tiram selfies e pedem para que a Lava Jato não desanime, não esmoreça.

Fico pensando nessas horas como deve estar se sentindo Deltan Dallagnol, ainda Procurador da República- pois eu estou aposentado agora- sendo vítima da sanha de hienas, subalternos velhacos puxa saco de Calheiros, Gilmares e Maias.

Será justo deixar sacrificar Deltan Dallagnol para que fiquemos em casa, cansados talvez dos movimentos de rua, paralisados pela inépcia política de Bolsonaro, descrentes de que é possível mudar?

Não somos nós que ajudamos as 10 Medidas contra a Corrupção, nós que nos manifestamos contra a degeneração da política brasileira, nós que salvamos o Ministério Público quando o Congresso tentou aprovar a PEC 37 em 2013?

Agora, não só vão punir Deltan Dallagnol por exercer sua cidadania, por ter tido a coragem expor de maneira clara e serena a indignação popular, mas também desejam cortar o combate à corrupção pela raiz, ameaçando com a hipócrita Lei de Abuso de Autoridade de prisão juízes, procuradores e policiais que ousarem investigar políticos.

Há muito abuso no Brasil, evidentemente. Há o abuso de bloquearam investigações, de impedirem a justiça de funcionar, de soltarem criminosos, de usarem um inquérito secreto e fora da competência constitucional para proregerem-se a si mesmos; de insistirem em vender seus votos a cada projeto de lei… Há tantos abusos que é vergonhoso pretender punir magistrados, promotores e policiais por trabalharem.

Onde você esteve nestes últimos 5 anos? Se esteve do lado do Brasil, volte a lutar. Cada uma da mais de duas milhões de pessoas que assinaram a proposta das 10 Medidas contra a Corrupção deve voltar à luta ativa. Cada entidade que se mobilizou Brasil a fora deve voltar à se mobilizar.

De outra forma, como pedir que Deltan Dallagnol continue a lutar se o deixamos sozinho?

Anúncios