Carol Solberg, a jogadora de voleibol que gritou “Fora Bolsonaro”.

VAI LAVANDO A SUJEIRA…


A jogadora de voleibol de praia Carol Solberg aproveitou a entrega de uma premiação numa etapa do circuito de praia em Saquarema/RJ para xingar o presidente da República do país que ela representa, ou deveria representar.

De microfone em punho, após receber a medalha de “honroso” terceiro lugar, bradou um patético “Fora, Bolsonaro”.

Quinze segundos de fama que lhe faltavam.

Pronto, agora é tentar com muito trabalho e um pouco de postura cidadã, segurar a peteca.

O mínimo que se espera de um cidadão (ã) de vida pública é que saiba se posicionar com clareza e ética diante de atitudes políticas que incluam rebeldia e insatisfação com o objeto de sua ira.

O que Carol teria a reclamar de Jair Bolsonaro, presidente legitimamente eleito de seu país??!

Ela tentou, abre aspas:

“O pantanal queimando e 140 mil mortos por Covid-19 no Brasil, e ninguém faz nada? Tenho o direito de usar a minha voz e quando estou na arena é quando eu tenho voz.” Fecha aspas.

Fiquei esperando algo fundamentado em clareza política e uma certa maturidade de posicionamento que não veio, Carol entregou o microfone após a trôpega frase.

É o típico pronunciamento infantilizado de uma jovem que pensa “agora eu vou mostrar pra eles quem é a Carol”. Faltou conteúdo pra filha da Isabel, vai ficar devendo.

Para a militante Carol Solberg Jair Bolsonaro é o cara insensível responsável por milhares de mortos numa epidemia que tem abrangência mundial, o mesmo negligente que não usa seus extintores para apagar focos de incêndio numa região secularmente atingida pelo fogo em períodos atípicos.

De imediato, Solberg ganhou um lugar na legião dos desprovidos de massa encefálica que compõem o ‘Ele Não’. Os que berram sem caixa de ressonância mas que no alto de suas almas prepotentes e vaidosas julgam-se estandartes da razão e “queridinhos da galera”.

Bolsonaro não precisa se dar ao trabalho de ir pra rede “cortar essa”. O Brasil urge.

Vamos ver até onde ela consegue tirar de sua rebeldia bisonha algo de bom para o seu país, além de ofender o seu legítimo mandatário.

Haja água e sabão para rebeldes sem causa.

Vai tentando limpar a área, Carol. Se precisar esmerilhar, tem areia de sobra.

6 comentários sobre “Carol Solberg, a jogadora de voleibol que gritou “Fora Bolsonaro”.”

    1. É uma pessoa que merece tb o repudio dos brasileiros. Uma pessoa sem postura e sem respeito pela pátria e o seu presidente. Não merece apoio dos brasileiros.

  1. E mt cara de pau! Cuspir no prato q se come é uma completa falta de niçao. O dinheiro q é-lhe pago, é o nosso, liberado p Presidente Bolsonaro. Nao está satisfeita, vai viver na Venezuela ou em Cuba! Acéfalos como ela, estamos cheios p aquu!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.