#BrazilWasStolen E também assista a Live do Argentino… ela está estremecendo as estruturas em Brasília.

Baixe aqui todo o material da Live do argentino em meu Google Drive: https://drive.google.com/drive/folders/1-2wHNucBQPxswOqrV3spAZQ9tcR8CDXb

O site de checagem das urnas do TSE continua fora do ar, desde o início da Live do argentino: https://dadosabertos.tse.jus.br/dataset/resultados-2022-boletim-de-urna

https://fb.watch/gBxOmIRGRs/

A AUDITORIA ARGENTINA E A FRAUDE NO BRASIL – AUTOR DESCONHECIDO

Pelo que eu entendi até agora, a alegação é a seguinte:

1) Existem 6 modelos diferentes de máquinas, mas só 1 deles, o modelo de 2020, é auditado.

2) Os logs e demais dados da eleição exibem uma diferença de comportamento gritante no voto de acordo com o modelo da urna eletrônica.

3) A progressão linear dos votos para Presidente da República só ocorre nos modelos anteriores a 2020, enquanto o modelo de 2020 apresenta a aleatoriedade que se espera de uma votação normal.

4) Todas as urnas com zero votos para o Presidente Bolsonaro são de modelos anteriores a 2020. Nessas urnas anteriores a 2020 em que não há nenhum voto para o Presidente Bolsonaro, há muitos votos para candidatos bolsonaristas para os cargos de deputado federal, deputado estadual e senador.

5) Essa diferença de comportamento é identificada no país todo e varia de máquina para máquina, com ocorrências na mesma cidade, na mesma zona eleitoral e na mesma seção.

6) O Presidente tem menos votos numa urna de modelo antigo em RORAIMA do que numa urna Modelo 2020 na BAHIA.

7) Essa diferença entre modelos ocorre na mesma cidade, na mesma zona e até na mesma seção eleitoral. As pessoas estavam escolhendo ou era a máquina que estava escolhendo por ela? Se elas estavam na mesma cidade, no mesmo bairro e na mesma escola, não deveriam apresentar a mesma variação e o mesmo padrão no comportamento do voto?

8) Nos modelos de 2020, o Presidente vence. Nos demais modelos, o Presidente perde por 5 pontos.