O parlamentar foi cientificado e não consentiu a instalação do aparelho. A recusa foi certificada pelas autoridades policiais” dizia o comunicado da Diretoria da Mesa da Câmara dos Deputados

O deputado Daniel Silveira (União-RJ) se recusou a colocar a tornozeleira eletrônica por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). A Polícia Penal do Distrito Federal e a Polícia Federal certificaram a recusa no início da noite desta quarta-feira (30/3).

“Na tarde de hoje, dia 30/3/2022, a Polícia Penal do Distrito Federal e a Polícia Federal estiveram na Câmara dos Deputados, para cumprir a decisão do Sr. Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, prolatada nos autos da Ação Penal n. 1.044/DF — em que determinou a fixação do equipamento de monitoramento eletrônico no deputado federal Daniel Silveira. O parlamentar foi cientificado e não consentiu a instalação do aparelho. A recusa foi certificada pelas autoridades policiais”, dizia o comunicado da Diretoria da Mesa da Câmara dos Deputados.

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) discursou em favor do deputado.