Segundo o governo, intenção é a ‘desburocratizar’ tratamento e ‘eliminar barreiras que criam distinção’ entre funcionários. O decreto estabelece que agentes públicos utilizem termo ‘senhor’.